quinta-feira, novembro 09, 2006

Vamos voltar aos ecos



Nasci no asfalto, quer dizer, não tive aquela infância na terra pisando no chão, subindo em árvores (não tanto quanto eu queria), não sei pescar e nunca matei um passarinho acho isso uma crueldade; mas me lembro do asfalto dos caminhões passando na rua e próximo onde eu morava tinha um rio (poluído lógico), canalizado que sempre enchia.

Avenida de um lado, avenida do outro, cruzamentos perigosos, mas mesmo assim era a minha rua. Tinha um amigo quase vizinho, a casa dele era um sobrado, gigante para mim, um castelo, e os brinquedo, que brinquedos, não que eu não tivesse, mas os brinquedos dos outros parece melhor, não parece... eu corria para lá, corria para cá, a gente brincava e brincava; mas um dia parou um caminhão grande em frente a casa dele, tipo báu e depois deste dia eu nunca mais vi ele, hoje nem seu nome eu lembro, mas lembro dos brinquedos...

1 Comments:

At segunda-feira, novembro 20, 2006 12:00:00 AM, Anonymous Helena said...

É engraçado meu amor, vc falar que nasceu no asfalto... nasceu no asfalto, mas nunca pertenceu verdadeiramente a ele... No fundo, você sempre pertenceu à terra, ao pé no chão... isso quando não voa pelos ares, pois creio que toda a natureza é seu domínio... na verdade por todo lugar que você passa, tudo vai ficando mais florido...

 

Postar um comentário

<< Home